domingo, 26 de outubro de 2008

Sobre Amor

Percebi que não escrevi nada sobre amor aqui, então lá vai.
***
Era estranho o modo como ele torcia os dedos para estralar as articulações. A cada dobrada eu escutava um tec-tec insuportável. Pisquei os olhos e senti as pálpebras molharem novamente minhas córneas.
Talvez eu devesse falar com ele. Ou talvez não. Ficar parada era uma boa opção. O risco de acontecer nada parecia satisfatório, já que duas coisas podiam efetivamente ocorrer. Se eu fosse, poderia ouvir um não que seria muito mais chamativo do que um sim. No caso dele (do sim eu digo) ele chamaria muito menos atenção do que um não.
Eu não o conhecia e não sabia seu setor, o que era uma justificativa completamente plausível para que eu me apresentasse. Os amigos dele se afastaram, era a oportunidade perfeita.
Perfeita. Perfeita. Fiquei parada, com os pés colados ao chão, como um poste, só faltou na ocasião um cachorro passar, erguer a pata habilmente e... Pois é. Ele saiu caminhando meio agitado depois de verificar o relógio, fazendo com que eu perdesse completamente a vista da sua figura.
Pigarreie baixinho e ergui os ombros. Eu era uma figura verdadeiramente patética, admito, e os lábios levemente entreabertos não ajudavam nada.
Caminhar parecia ser pesado, mas necessário. Precisava almoçar antes de voltar ao trabalho e para ajudar o refeitório estava cheio e meu relógio parecia cada vez mais vazio. Engoli a comida que raspou várias vezes pela minha garganta, e depois de pagar peguei uma garrafinha de água devidamente quente (pois nunca esteve devidamente fria) e coloquei os lábios no gargalo tentando não parecer uma troglodita, o que é praticamente impossível.
Já tentaram beber enquanto andam apressadamente? Deitei a cabeça levemente para trás na tentativa de molhar meus lábios enquanto meus sapatos desconfortáveis batiam no assoalho. Ao mesmo tempo tentei olhar o caminho, ignorando os telefones que tocavam e as pessoas agitadas que passavam por... Foi um desastre.
Torci o pé e logo senti a água molhando minha blusa e parte do meu rosto. Várias pessoas vieram olhar meu estado, mas nenhuma se moveu para me erguer.
Fiquei em pé sozinha, resgatando o pouco de dignidade que me restava e caminheie feito uma cadela manca. Um passo de cada vez, joelho perdia a força, certo, tudo bem... Fui para enfermaria naquele passo torto.
_Pois não?
Escutei a voz, mas estava muito mais incomodada com minha blusa molhada. Depois de alguns segundos levantei o queixo.
_Acho que eu... - céus - Torci - apontei para meu pé, só aí percebi que meu salto tinha quebrado.
_Mulheres e seus saltos. Sente-se e tire...
_Tire!? - minha voz saiu mais afobada do que o normal.
_O sapato - ele franziu o cenho e deu um sorrisinho enquanto lavava as mãos.
Ele parecia concentrado enquanto examinava meu pé. Fique lá parada, esperando um elogio do tipo: Como seu pé é bonito, ou esse dedão tem telefone?
_Então? Quebrou? - perguntei.
_Não, vamos colocar um gelo e você deveria ir para casa.
O cara era legal, bonito, inteligente e ainda me manda para casa em plena quarta-feira depois do almoço. Quer casar comigo?
_Certo - respondi com seriedade transpirando dos meus poros.
_Mas antes disso a senhora - uh, essa doeu - deve aceitar um convite.
Ergui as sobrancelhas.
_Con-convite - repeti.
_Sim, para uma festa da firma. Os convites só seriam dados hoje a tarde, mas como você vai embora - perguei o papelzinho com uma cara de... de que droga! - Chamarei alguém para te levar com a cadeira de rodas.
Fiquei de pé e pulei para não apoiar o pé no chão.
_Certo, obrigada.
A cadeira chegou, um segurança veio junto. Sentei e dei um aceno de leve para me despedir.
_E mais um coisa... Quando seu pé melhorar, quem sabe podemos jantar juntos um dia?
Definitivamente muito melhor que as cantadas sobre os pés.
***
Urgh, que droga. Não estava inspirada, não, não. E morrendo de calor.

3 comentários:

Jéssica disse...

Eu gostei do final =D

Vai saber ele já notava ela desde antes, mas ela nem percebia e tinha o efeito igual *-*

Que lindo, sempre quis que isso acontecesse comigo :~

;*

Manhani, T. disse...

Gostei bastante, principalmente da riqueza de detalhes na narrativa. Deu pra viajar na estória!

Gostei bastante do seu blog, vou te linkar!

Bjão!

Ps* tá mesmo mtoooo calor!

Anônimo disse...

esta indo bem, continue assim, gosto muito de ler o que vc escreve xD